AS LEIS REVELAM A HISTÓRIA DE MACHADOS. (ANO 1965).

Matérias

 

    Vamos falar um pouco sobre a HISTÓRIA de Machados e, sobre a participação da Câmara, na construção dessa história e do município . 
O Poder Legislativo teve forte influência e interferiu e interfere diretamente na construção do nosso território e nos costumes do seu povo. Esse Poder ajudou Machados a se tornar o que é hoje.
Para iniciar nosso “passeio” pelos 56 anos de Emancipação Política, vamos destacar hoje, momentos importantes e memoráveis vivido no ano de 1965, ano esse que teve inicio de forma propriamente dita, as atividades do Poder Legislativo, quando foi sancionada sua primeira Lei.
Por falar em primeira Lei, você sabe qual foi à primeira Rua em Machados a receber nomenclatura? Não? Então vamos lhe contar! Veja só, no dia 7 de junho de 1965, foi aprovada a lei nº 003-A/65. Essa Lei em questão tratava sobre os nomes de oito (8) ruas que hoje são bem conhecidas pela maioria dos Machadenses.
Na época, elas já eram identificadas pelos populares, mas tinham outros nomes. 
Por um acaso você conhecia em Machados a Rua Pau Amarelo? Não? Mas tudo bem, vamos revelar qual rua era essa.
A Rua Pau Amarelo, era a que hoje todos nós conhecemos como Rua JOSÉ NILO. 
Nesta Lei nº 003 -A/65, a hoje Rua ANTÔNIO ALBUQUERQUE teve seu nome “decretado”, além da Rua JOÃO PESSOA GUERRA, que compreendia o trecho do Mercado Público Municipal. Ainda foi incluído nessa lei, que a rua popularmente conhecida como Rua da Palha, passaria a se chamar Rua SÃO VICENTE DE PAULO. 
O artigo 5º desta Lei, ainda definia que o trecho entre a casa nº 45 e 138, passaria a se chamar AV. MANOEL PEDRO DE AGUIAR. Já o artigo 6º, definia que o trecho entre a casa nº 130 e 170, seria chamado de Rua JOSÉ ALEXANDRE. 
E, foi também a Lei nº 003-A/65, quem decretou o nome da Rua MANOEL JOÃO, que era conhecida como Rua Siqueira Campos. (Ah, e para quem ainda não sabe, Manoel João foi o fundador de Machados). A artéria que era conhecida como Rua da Palmeira também teve seu nome instituído nesta Lei e passou a se chamar Rua EDSON ÁLVARES. Pode parecer engraçado, mas muitas pessoas continuam a chamar a Rua Edson Álvares ainda hoje de Rua da Palmeira, mesmo depois de passados quase 54 anos.
Foi também através de outra Lei a de nº 004/65, que a rua onde hoje é localizada a igreja Matriz de São Sebastião, recebeu a denominação de Av. GOVERNADOR PAULO GUERRA.
Já a Lei nº 005/65, denominou de Rua ANTÔNIO CARDOSO, a artéria que era conhecida como Rua da Escola Rural.
A última Rua a receber denominação no ano de 1965 foi a Rua FELIPE CORREIA, que era conhecido como Rua Travessa Djalma Dutra. Seu nome foi instituído pela Lei nº 010/65.
Como observamos na narrativa acima, Machados tinha e ainda hoje tem Ruas divididas em partes e com nomes diferentes afora as numerações desencontradas o que, para os dias atuais se torna estranho, mas ainda assim hoje continuam incorretas, o que não deixa de ser desagradável e um erro.
Saindo do tema Ruas, descobrimos outras curiosidades.
Nesses primeiros anos de MACHADOS emancipado, os Prefeitos e Vereadores não recebiam qualquer subsídios para exercerem suas funções, inclusive, a Lei nº 009/65, estabelecia que os subsídios não existissem, no entanto, pouco tempo depois a Lei nº 016 de 11 de outubro de 1965, modificou e passou a estipular que os Vereadores iriam receber o subsídio de CR$ 10.000 ( Dez Mil Cruzeiros) mensais e CR$ 20.000 ( Vinte Mil Cruzeiros) por Sessão Ordinária até o fim do ano de 1966.
Já o Prefeito, tinha o subsídio de CR$ 30.000 (Trinta Mil Cruzeiros) mensais e CR$ 20.000 ( Vinte Mil Cruzeiros) por Representação. Nos anos 70 mais uma vez foi cancelado os subsídios dos Prefeitos, depois somente dos Vices Prefeitos e Vereadores e por fim, todos voltaram a receber.
Um fato interessante sobe a História de Machados é que no dia 10 de setembro de 1965, ouve uma solenidade para a instalação e inauguração do serviço de energia. Imagina, naquela época, sequer existia energia elétrica e sim, um velho motor a diesel na zona urbana. Essa instalação e inauguração foi um marco na vida dos Machadenses com a presença inclusive do Governador Paulo Guerra e a transmissão ao vivo da Rádio Difusora de Limoeiro. 
Ainda como curiosidade, naquela época foi ministrado na sede da Câmara Municipal de Machados, isso no ano de 1965, uma Escola de Corte e Bordado, que foi instituída pela Lei nº 006/65 e posteriormente, a Lei de nº 012/65, ampliava e elevava para um “caráter especial”, diante do grande número de frequência de alunas. 
Em Machados, através da lei n°008/1965, foi estipulado um valor para que fosse adquirido um JEEP, esse veículo viria a ser usado pela prefeitura e pela população, inclusive fazendo transporte para socorro médico de quem assim necessitasse.
É importante ressaltar que a primeira eleição em Machados foi em 1965, sendo realizada no dia 25 de Abril. No dia 30 de Maio do mesmo ano tomou posse o primeiro Prefeito eleito para Machados, o senhor Nivaldo de Andrade Lima.
Por fim, revelamos aqui quem foi a primeira pessoa a receber o título de Cidadão Machadense. Você tem ideia de quem foi homenageado? Esse primeiro Título foi entregue ao Dr. Ênio Pessoa Guerra, através da Lei nº 018/65.
(CÂMARA DE VEREADORES CONTANDO SUA HISTÓRIA).

31 thoughts on “AS LEIS REVELAM A HISTÓRIA DE MACHADOS. (ANO 1965).

  1. Very nice post. I simply stumbled upon your weblog and wished to say that I’ve really loved browsing your blog posts.
    In any case I will be subscribing for your rss feed and I am hoping you write again very soon!

  2. We’re a group of volunteers and opening a brand new scheme
    in our community. Your web site offered us with valuable information to work on. You have done a formidable
    task and our whole group will probably be grateful to you.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *