RESUMÃO  LEGISLATIVO – 1967

Matérias

Quem acompanhou o “resumão” de 1965 e 1966, sabe que estamos fazendo um apanhado dos principais pontos curiosos vivenciados pelo legislativo durante todos esses anos de história do município. Hoje, vamos descobrir um pouco do que estava acontecendo no Legislativo e também no Executivo de Machados no ano de 1967.

O primeiro ponto a ser enaltecido é que durante o ano de 67 foram aprovadas 32 leis no município, todas elas aprovadas pelo legislativo e sancionadas pelo prefeito da época, o Sr. José Nivaldo. Logo no começo de 67, para ser mais específica no dia 22 de janeiro; a câmara concedeu o Título de Cidadão Honores Causa, ao Dr. Cícero Guedes Alcanforado, através da lei municipal  nº 41. Esse título que enaltece a honra foi concedido ao excelentíssimo Sr. Dr. devido ao seu grande trabalho na paz social.

Com a lei de nº 43 o prefeito, José Nivaldo, ficou autorizado a firmar convênio com o hospital regional de Surubim, no sentido de fazer internamento de pessoas para tratamento de diversas enfermidades. Bem sabemos que a escassez de recursos e falta de postos de saúde para atendimento no município “recém criado” fazia com que o povo Machadense perecesse, esse convênio foi um passo para a melhoria da saúde e qualidade de vida dos Machadenses.

Neste mesmo ano com a lei nº65 houve a reconstrução e terraplenagem do trecho de estrada entre Laranjeiras e Estivas.

Em 10 de agosto de 1967, através de uma emenda suspensiva, que atacava o projeto de lei de  nº 1 de 10 de fevereiro de 1966, deu nova denominação ao “Grupo Escolar Antônio Marques de Oliveira”, que com a nova redação passou a se chamar de “GRUPO ESCOLAR JOÃO MARQUES”. Já a lei  nº 60 denominava a Escola Municipal João Barbosa de Lucena, a escola da Professora Adeilda Moura de Araújo Barbosa. Em 27 de julho de 1967, com a lei  nº 58; ficou o prefeito autorizado a criar uma ESCOLA DE DATILOGRAFIA MUNICIPAL JOÃO MARQUES DE OLIVEIRA. Também no âmbito da educação a lei nº 68 de 21 de setembro de 1967, decretava a denominação do grupo escolar situado em Laranjeiras, onde o mesmo passou a se chamar “GRUPO ESCOLAR EDSON RÉGIS”.Com a lei nº 57 o prefeito ficou autorizado a conceder um auxilio de vinte cruzados (moeda da época) mensais a Conferência Vicentina São Sebastião de Machados. Essa conferência foi fundada em 1960 e tinha como presidente o Sr. José Luiz e Silva, o mesmo é também o autor do livro “Machados Revela Sua História”.

A lei  nº 56 se referia à denominação do prédio Destinado às Parturientes, que passou a se chamar; Casa de Saúde São Sebastião. Já lei  nº 55, denominou a Rua Amaro Lino, a artéria que começa ao lado da rua Felipe Correia, indo em Direção ao córrego das Lages. Uma curiosidade é que uma das primeiras máquinas de escrever da Câmara Municipal foi adquirida em 1967, como estipulava a lei  nº 54. A lei municipal nº 50 Aprovava a abertura de um crédito especial no valor de (três mil cruzeiros novos) para a aquisição do prédio situado à rua Manoel João, nº 2, nesta cidade. Neste prédio viria a ser instalado a sede da prefeitura e outros órgãos municipais.

Lei nº 45 — Abertura de crédito especial no valor de (Mil cruzeiros novos) para a compra de um televisor, a ser localizado no Mercado Público desta Cidade. Lei nº 67 — Concedeu Título de Cidadão Honores Causa ao Exmo. Sr.Governador do Estado Dr. Nilo de Souza Coelho.

Por fim, a lei nº 69 — Autorizava a construção de um matadouro Público. Este viria a ser o primeiro matadouro publico oficial do município.